top of page

Saiba por que o intestino é chamado de segundo cérebro

Você já deve ter ouvido alguém se referir ao intestino como o segundo cérebro. De fato, ele possui mais neurônios do que a espinha dorsal e desempenha suas funções de forma independente do sistema nervoso central. Esses neurônios produzem serotonina, uma substância que proporciona bem-estar.

Por isso, o intestino desempenha mais papéis do que apenas processar e digerir os alimentos que consumimos.

Por que se diz que o intestino é nosso segundo cérebro?



O intestino possui um sistema nervoso autônomo. Sendo assim, o cérebro não precisa enviar qualquer comando para que o intestino desempenhe suas funções corretamente. Entre elas estão a liberação de substâncias digestivas e os movimentos necessários à eliminação do bolo fecal. Isso é possível graças ao sistema nervoso entérico (SNE), que controla o sistema digestivo. A comunicação com o Sistema Nervoso Central (SNC) é realizada por meio dos sistemas simpático e parassimpático.

Além disso, a maioria das células do sistema imunológico, cerca de 70%, se encontra no intestino. Isso faz com que este órgão nos proteja de infecções e seja de grande importância na resposta imune do nosso organismo a uma série de doenças. Muitos casos de alergias e intolerâncias alimentares podem estar relacionados diretamente com a função intestinal.

O intestino é responsável também por 90% da produção e armazenamento da serotonina, neurotransmissor responsável por nosso bem-estar e prazer. A serotonina baixa pode causar transtorno de humor, distúrbios de sono, tristeza e até mesmo depressão.

O intestino delgado e o grosso possuem funções semelhantes?

Não. O intestino delgado permite a absorção de diversos nutrientes essenciais à saúde do nosso organismo. Os nutrientes são absorvidos pelo sangue e seguem para o fígado, de onde são enviados para o restante do corpo. Sendo assim, o intestino delgado completa tanto a digestão quanto a absorção e a secreção de nutrientes.

O intestino grosso, por sua vez, é responsável pela absorção da maior parte da água, conferindo consistência às fezes. Ele também permite a assimilação de alguns eletrólitos e a síntese de algumas vitaminas.


O que influencia a função do meu intestino?

Tudo o que ingerimos interfere no que chamamos de microbioma intestinal. Quanto mais diversificada a dieta, melhor para este microbioma, já que esses micróbios ajudam na digestão e na absorção de nutrientes. Manter dietas com baixo valor nutricional ou não variar o cardápio empobrece o microbioma intestinal. Isto pode prejudicar a saúde intestinal e o seu bem estar. Além disso, a flora intestinal possui papel relevante no que diz respeito à manutenção do foco e do bom humor. Uma flora intestinal saudável reduz os efeitos de qualquer mal que possa afetar estes aspectos. Existem outros fatores que podem interferir negativamente no microbioma intestinal como o estresse, ingestão de álcool, medicamentos como antibióticos, anticoncepcionais e anti-inflamatórios, falta de atividade física, tabagismo e a poluição.

Como posso estimular o bom funcionamento do intestino?

É muito importante melhorar sua saúde digestiva. Para isso, procure diversificar sua dieta, mantendo-a rica em fibras e outros nutrientes. Caso seja necessário, um médico especializado poderá indicar o consumo de suplementos que proporcionem a saúde do segundo cérebro. Tente controlar ou reduzir o nível de estresse e trate possíveis problemas intestinais corretamente. Também é importante respeitar as horas de sono e os momentos de lazer. Seguir uma dieta balanceada e praticar atividades como meditação e relaxamento trazem benefícios físicos e mentais. Além de melhorar o microbioma intestinal, você vai se sentir mais disposto e apto a realizar suas tarefas diárias.

DRA FLAVIANE FARIAS - ENVELHECIMENTO E SAÚDE INTEGRATIVA DA MULHER


Referências:

Maton, Anthea; Jean Hopkins, Charles William McLaughlin, Susan Johnson, Maryanna Quon Warner, David LaHart, Jill D. Wright (1969). Human Biology and Health (em inglês). Englewood Cliffs, Nova Jérsei: Prentice Hall. ISBN 0-13-981176-1

Asimov, Isaac (2002). O corpo humano: sua estrutura e funcionamento 1 ed. São Paulo: Hemus. ISBN 8528902846

Intestino Grosso, seção 9: perturbações gastrointestinais, capítulo 99: Biologia do aparelho digestivo. Manual Merck.

SOUZA, Débora Vasconcelos De PM et al. O SEGUNDO CÉREBRO E O AUTISMO: O IMPACTO DA CULINÁRIA BRASILEIRA NO AGRAVAMENTO DO TRANSTORNO. REINPEC-Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, v. 4, n. 3, 2019.

VEDOVATO, Kleber et al. O eixo intestino-cérebro e o papel da serotonina. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v. 18, n. 1, 2014.




Posts recentes

Ver tudo

Comments


Posso ajudar?

bottom of page