top of page

Esclareça suas dúvidas sobre a modulação hormonal

O organismo passa por alterações significativas na produção hormonal a partir dos 30 anos. Diversas gonodas podem sofre interrupções na sua função as mais comuns são a tireoide, com o surgimento do hipotireoidismo e as gonodas sexuais conhecido como menopausa para as mulheres e andropausa para os homens.



Você já ouviu falar sobre modulação hormonal para menopausa e andropausa? E sobre hormônios bioidênticos? Estes últimos são substâncias de estrutura molecular idêntica às produzidas naturalmente pelo nosso organismo. A terapia de modulação hormonal, por sua vez, utiliza estes hormônios, evitando que o organismo absorva substâncias estranhas a ele.


A reposição hormonal com hormônios bioidênticos é um avanço terapêutico que oferece resultados clínicos bastante seguros. Cada vez mais, médicos ortomoleculares e endocrinologistas substituem a terapia de reposição hormonal clássica e tradicional.


Quais são os benefícios da modulação hormonal?

Os hormônios bioidênticos ajudam a controlar os níveis hormonais no organismo, repondo o que estiver faltando no nosso corpo. Como explicado anteriormente, os hormônios bioidênticos empregados neste tipo de terapia são extremamente semelhantes aos naturalmente produzidos pelo organismo. Isso possibilita que eles ocupem os receptores hormonais das células com exatidão e, ao serem absorvidos pelo organismo, são prontamente reconhecidos pelas células.

Como resultado, ocorre a “resposta terapêutica fisiológica”, que possibilita a recuperação das principais funções orgânicas. Além disso, há diminuição da ocorrência de doenças relacionadas à redução hormonal.


A modulação hormonal oferece riscos?

Quando administrados em doses incompatíveis, estes hormônios podem causar distúrbios e desequilíbrios aos pacientes. O tratamento, bem como a dosagem e a duração adequadas deverá ser definida pelo médico a partir do resultado de exames e do acompanhamento realizado.

Sendo assim, a utilização de hormônios bioidênticos deve ser sugerida e orientada por médicos especializados. O profissional também poderá orientar quanto à necessidade de reposição ou ajustes da modulação hormonal. Este modelo deve ser associado a uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes, bem como a exercícios físicos. O intuito é oferecer um procedimento saudável e seguro, com menores chances de existirem efeitos indesejáveis.


Quais são os sintomas da redução hormonal?

Alguns sintomas são comuns e outros são distintos para organismos masculinos e femininos. Mesmo assim, cada organismo pode reagir de forma individual aos mesmos estímulos. A modulação hormonal pode reduzir ou eliminar estes sintomas.


Ambos podem sofrer de cansaço físico, dificuldade de concentração, vontade exacerbada de comer carboidratos e doces, depressão e alterações de humor. Também pode ocorrer diminuição da libido, irritabilidade, agressividade, insônia, nervosismo, impaciência, ansiedade e sudorese excessiva no período noturno. Homens e mulheres se tornam mais suscetíveis a infecções.


É comum em ambos os sexos o aumento do peso, com depósito de gorduras predominantemente na região abdominal (adiposidade visceral) e essa predominância eleva o risco para o desenvolvimento de doenças cardiovascular, síndrome metabólica e câncer.


Entre as mulheres, os mais comuns são fraqueza, aumento de pelos faciais, ganho de peso, incontinência urinária, secura vaginal e fogachos. Há relatos de palpitação cardíaca e ressecamento da pele.

Entre os homens podem ocorrer aumento da oleosidade da pele, ganho de peso e diminuição do crescimento da barba e do fluxo urinário. Há relatos de dores articulares e musculares, redução da sensação de bem-estar e de ereções matutinas.


É importante comparecer regularmente às consultas médicas, realizar os exames propostos pelo profissional e estar atento aos sintomas. Procure orientação especializada e saiba mais sobre a modulação hormonal.


Quais são os candidatos a modulação hormonal?

As pessoas que entraram na menopausa ou andropausa muito jovens, pessoas que tem relato de osteoporose na família, risco para doença osteoarticular, baixo peso e massa muscular e óssea, perda de massa óssea intensa após a menopausa, mulheres muito sintomáticas após a interrupção dos ciclos menstruais, pessoas que não tem contra indicação a uso de hormônios.


A terapia de modulação hormonal é um adjuvante na terapia pós- menopausa agregando mais qualidade de vida e bem-estar aos pacientes.



Referências:

http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1881

https://www.endocrino.org.br/hormonios-bioidenticos/




8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Posso ajudar?

bottom of page