top of page

Alergia ou intolerância alimentar?

Você estava acostumado a ingerir um determinado alimento e de repente começa a sentir mal-estar, dor no estômago e dificuldade em fazer digestão. Sente que aquele alimento não está fazendo bem. Você pode estar diante de um quadro de intolerância alimentar. conhecer esta condição de saúde ajudará a entender sua própria suscetibilidade a possíveis alérgenos e irritantes pode ajudá-lo a fazer melhores escolhas alimentares e a se sentir bem ao se alimentar.


A alimentação é mais do que o ato de ingerir alimentos. Esta ação, essencial para a sobrevivência humana, deve fornecer todos os nutrientes indispensáveis ao bom funcionamento do organismo.



Também é sabido que cada fase da vida possui necessidades distintas. Isto acontece devido a crescimento, desenvolvimento e manutenção das funções fisiológicas terem demandas específicas. Cada elemento deste varia de acordo com a idade do indivíduo.


No entanto, os alimentos podem causar reações adversas no organismo. Estas podem ser causadas por antígenos alimentares, contaminantes químicos ou bacteriológicos, estresse ou problemas emocionais.




O que é alergia alimentar?

A alergia alimentar afeta o sistema imunológico e é geralmente caracterizada por uma resposta imunológica às proteínas dos alimentos, que funcionam como antígenos. Quando o corpo entra em contato com essas proteínas, o sistema imunológico entra em modo de defesa produzindo anticorpos, o que pode desencadear uma reação adversa (alérgica) aos alimentos.


Os maiores causadores de alergia alimentar são comumente referidos como "Os Grandes Oito". Eles incluem leite, ovos, amendoim, nozes, soja, trigo, peixe e marisco. Os sintomas típicos incluem irritações na pele, náusea, vômito, diarreia e até mesmo uma reação alérgica grave conhecida como anafilaxia, que pode colocar a vida em risco.


O que é intolerância alimentar?

A intolerância alimentar é uma reação adversa aos alimentos que é frequentemente confundida com a alergia alimentar, mas são diferentes.


A intolerância alimentar ocorre quando o organismo não é capaz de digerir corretamente um determinado tipo de alimento, seja pela falta de uma enzima específica ou por outras condições. O exemplo mais comum é a intolerância à lactose, em que o corpo não consegue digerir a lactose presente no leite e em seus derivados, causando sintomas como gases, inchaço, cólicas e diarreia.


As reações adversas a alimentos podem ser classificadas de diferentes formas pela AAAI. Além da alergia alimentar e da intolerância alimentar, existe a intoxicação alimentar, causada pela ingestão de alimentos contaminados com micro-organismos patogênicos, e a sensibilidade alimentar, que se refere a sintomas semelhantes aos da intolerância, mas sem um mecanismo claro de ação. É importante buscar um diagnóstico preciso para cada tipo de reação adversa a alimentos, para que seja possível realizar o tratamento adequado e evitar possíveis complicações.


Existem vários alimentos que podem causar intolerância alimentar em algumas pessoas. Alguns dos principais alimentos incluem:

  • Banana;

  • Café;

  • Camarões, peixes e mariscos;

  • Carnes processadas;

  • Chocolates;

  • Frutas cítricas;

  • Grãos que possuem glúten;

  • Leite e seus derivados;

  • Ovos;

  • Pimentas;

  • Produtos com corantes, aromatizantes e conservantes;

  • Repolho;

  • Tomates e

  • Vinho tinto.


Quais são os sintomas da intolerância alimentar?

Os sintomas podem surgir até 72 horas após a ingestão do alimento prejudicial. No entanto, eles se restringem ao sistema digestivo, podendo ocorrer refluxo gastroesofágico, eructação, empachamento, cólicas abdominais, diarreias, fezes explosivas ou aquosas, dor e distensão abdominal. Também podem ocorrer gases, flatulências, ruídos intestinais, náuseas e vômitos.


Como lidar com casos de intolerância alimentar?

Muitas situações de intolerância alimentar podem se manifestar de modo semelhante às alergias alimentares. Por isso, a investigação médica é imprescindível para decidir a melhor forma de controlar e evitar novas ocorrências. O acompanhamento médico também pode evitar casos de "falsa alergia alimentar" ou de "reação anafilactoide".


Com o tratamento adequado, é possível conviver com a intolerância alimentar sem comprometer de forma drástica a qualidade de vida. Alguns pacientes podem, inclusive, receber uma dose de enzimas digestivas em falta e, assim, ingerir determinado ingrediente, sem cometer exageros.


O diagnóstico é feito através da análise dos sintomas apresentados. O médico também pode solicitar alguns exames, como o de sangue, já que seus resultados ajudam na obtenção do diagnóstico correto. Em alguns casos, exames de rotina e o preenchimento de uma espécie de diário alimentar também são úteis na identificação da intolerância alimentar.


Caso haja suspeita de intolerância ou alergia alimentar, busque aconselhamento médico o mais cedo possível. O diagnóstico precoce pode ajudar a recuperar sua qualidade de vida.



Referências:

http://www.luzimarteixeira.com.br/wp-content/uploads/2009/11/atualizacao-em-intolerancia-alimentar.pdf




6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Posso ajudar?

bottom of page